CLUBE DE BONECO

Os bonecos gigantes surgem na Europa, provavelmente na Idade Média, sob a influência dos mitos pagãos escondidos pelos temores da Inquisição.  Chegam ao Brasil com os portugueses, desfilando inicialmente em procissões e festividades religiosas na figura de bufões ou reproduzindo santos católicos.

A tradição de bonecos gigantes no carnaval de Pernambuco destaca-se principalmente na cidade de Olinda. O primeiro, da enorme família de gigantes, foi o Homem da Meia-Noite (1931), que surgiu como uma dissidência de sócios da Troça Carnavalesca O Cariri de Olinda. Também são famosos a Mulher do Dia, o Menino da Tarde, entre outros.

Os Clubes de Bonecos desfilam acompanhados por uma orquestra de metais ao som do frevo de rua e, ao contrário das outras agremiações, não trazem Bandeira ou Estandarte – a principal alegoria é o Boneco. Apresentam-se fantasiados, algumas vezes com o nome do Clube ou do personagem, o qual representam, inscrito em uma faixa atravessada no corpo. Dançam e reverenciam personalidades curvando-se diante delas e de espaços ou casas ilustres. Há bonecos com até três metros e meio de altura, que pesam em média 35 quilos. O material utilizado na confecção varia bastante, podendo ser papel machê, fibra ou tecido.

Os Clubes que brincam nos subúrbios do Recife e nas ladeiras de Olinda trazem o Boneco acompanhado da orquestra e da multidão, mas os que participam do Concurso de Agremiações Carnavalescas agregam diversos outros elementos como diretoria, passistas, destaques, cordões, alas e outros desfilantes que se apresentam fantasiados.

Em alguns Clubes, os Bonecos são considerados calungas pelos carnavalescos, carregados de um forte fundamento religioso. O “miolo” do boneco, assim como ocorre no Boi e no Urso, geralmente é uma pessoa antiga na agremiação, que algumas vezes passa por diversos cuidados espirituais.

CLUBE DE BONECO SEU MALAQUIAS

Constituído como Troça em 1940, veio da cidade de Carpina e teve como fundador Antônio Ramos de Oliveira, popularmente conhecido por Seu Maracujá. Em 27 de agosto de 1954 foi registrado como Boneco Seu Malaquias. O nome foi escolhido em função de uma pessoa com estatura elevada que vivia na região e era chamada Malaquias.

Em 1959, quando da mudança de Seu Maracujá para o bairro de Águas Compridas, em Olinda, a sede do brinquedo foi transferida para essa localidade. Em 1977, após o falecimento do primeiro diretor (Maracujá), assume a presidência do “brinquedo” seu filho, José Ramos de Oliveira, mais conhecido como Zezinho de Malaquias, que decide mudar o estatuto da agremiação de Troça para Clube de Boneco.

Seu Malaquias tem como símbolo um boneco gigante que pesa em torno de quarenta quilos, traz no pescoço um medalhão, e tem por cores o vermelho e o branco em decorrência da devoção ao orixá Xangô.

Com vários títulos de campeão e vice-campeão, o Boneco traz em seu repertório os frevos de rua “Malaquias no Frevo” e “Recordação de Maracujá”, composições do Maestro Nunes, e o hino do clube – “Seu Malaquias”, composto por José Bartolomeu.

Seu atual presidente é Claudio Brandão de Oliveira (Chocho), filho de Zezinho “de Malaquias”.

Endereço: Av. Aníbal Benévolo, 1.124, Beberibe, Recife

Contatos: (81) 99632.7587 / 3451.2448 / 98634.6842 / 99125.7274

CLUBE DE BONECO TADEU NO FREVO

A agremiação nasceu em 23 de julho de 1980, na cidade de Abreu e Lima, fundada por integrantes de uma quadrilha junina chamada Tadeu na Roça, nome inspirado na música Prenda o Tadeu, grande sucesso musical da época, interpretado pela cantora Cremilda.

Entre seus fundadores destacam-se Josevan Sales de Souza, Arnaldo Teixeira, Josane Muniz, Jean Sales, Jairo, Margarida Monteiro e Marilucy Monteiro.

A agremiação é representada por um boneco com aproximadamente três metros e meio de altura e tem como cores oficiais o verde e o preto. Surge como troça e passa à categoria de Clube de Boneco em 1991, na qual sagrou-se campeã durante vários anos.

Seus hinos são os frevos de rua “Tadeu no Frevo” e “Regresso Margarida”, ambos compostos pelo Maestro Nunes. O atual presidente é Josevan Sales de Souza.

Endereço: Rua 24, 15Q 28, Caetés II, Abreu e Lima

Contatos: (81) 98872.6455 /99963.3392 (Josevan) /98754.3958 – Margarida

CLUBE DE BONECO LINGUARUDO DE OURO PRETO

A Troça Carnavalesca Mista Linguarudo de Ouro Preto foi fundada em 1º de maio de 1983, por Alberto Monteiro Cavalcanti, Maria dos Prazeres Alves Cavalcanti e José Alves de Souza Filho. Os fundadores tinham como objetivo animar as ruas do bairro de Ouro Preto, em Olinda, localidade que não contava mais com uma agremiação carnavalesca na qual pudessem desfilar os seus moradores.

Em 1990, depois de sete anos de desfile nas ruas de Olinda e do Recife, foi decidido, em assembleia realizada com os dirigentes, que a brincadeira passaria da categoria Troça para a de Clube de Boneco.

O Linguarudo, como é carinhosamente chamado, conquistou vários títulos no Concurso de Agremiações Carnavalescas. Ele possui um boneco com a língua para fora como símbolo e tem como cores oficiais o azul e o branco.

Sua presidente é Cristina Alves da Silva.

Endereço: Rua Ema, nº 27, Casa A, Ouro Preto, Olinda

Contatos: (81) 98529.8082 (81) 99845.6657