Natiruts faz o Marco Zero cantar e dançar ao som do reggae

< Anterior  Próxima >

A banda Natiruts fez um show contagiante e levantou a multidão. (Foto: Wesley D´Almeida)

 

A banda brasiliense Natiruts subiu ao palco do Marco Zero, na noite desta segunda-feira (12), e foi saudada por um imenso coral formado pelas vozes de milhares de fãs. Bastou o vocalista Alexandre Carlo entoar os primeiros versos do sucesso “Na positiva” para o público se deixar levar pelo ritmo do reggae, cantando todas as músicas junto com o artista.

Passeando por canções como “Quero ser feliz”, “Meu reggae é roots”, “Natiruts reggae power” e as conhecidíssimas “Beija Flor” e “Liberdade pra dentro da cabeça”, a banda não deixou ninguém parado. “Tudo é festa e o Carnaval é diversidade. É sempre um prazer enorme tocar no Recife, especialmente num evento como esse, que é aberto a todo mundo, sem discriminação”, afirmou Alexandre Carlo.

E ninguém melhor para representar toda essa diversidade do que a banda recifense Devotos, filha orgulhosa do Alto José do Pinho, que subiu ao palco logo antes dos brasilienses. Tocando pela primeira vez no Carnaval do Marco Zero, a Devotos mostrou seu conhecido estilo “punk rock hardcore”, com peso e atitude. “Estamos comemorando 30 anos de carreira e lançando nosso terceiro disco. Essa foi a noite de celebrar todos os ritmos, sem preconceito. O Recife é isso”, atesta o vocalista Cannibal.

A apresentação contou com as participações especiais do cantor Pesado, ícone do hardcore pernambucano, do Afoxé Ylê Egbá e de Lirinha, ex-Cordel do Fogo Encantado, que levou “Matadeira”, de sua ex-banda, junto com Cannibal. O restante do show teve sucessos antigos do Devotos, como “Punk Rock Hardcore” e “Eu Tenho Pressa”, além das novíssimas “Fé Demais” e “De andada”.

Claro que não poderia faltar o dono da festa: Sua Majestade, o Frevo. Com o projeto Frevibe, o cantor Silvério Pessoa reuniu diversos nomes da nova música pernambucana para uma celebração ao ritmo centenário. Ele recebeu no palco os cantores Tibério Azul, Romero Ferro, Almério, Flaira Ferro e Ylana Queiroga para fazer o Marco Zero dançar ao som de clássicos como “Micróbio do Frevo”, “Bom Demais”, “Energia” e “Me Segura Que Senão eu Caio”.