André Rio e o polo do Alto José do Pinho declaram amor eterno ao frevo pernambucano

< Anterior  Próxima >

 

Uma verdadeira declaração de amor ao frevo pernambucano foi dada na noite desta terça-feira, último dia do Carnaval do Recife,  durante o show do cantor  André Rio no polo do Alto José do Pinho, na zona norte da cidade.  Cantando músicas autorais e de mestres como Alceu Valença, Capiba e Luiz Bandeira, o recifense do bairro de São José fez o público deixar o chão e cair no passo. Com 29 anos de carreira, 18 CDs e cinco DVDs lançados, André se prepara para percorrer a Europa, no 2º semestre, para divulgar seu mais recente CD, “Meu Carnaval é Frevo”, lançado este ano.

“Como filho de compositor de frevo, Alírio Moraes, e sobrinho do maestro José Menezes, o frevo está no sangue e vou defendê-lo e exaltá-lo sempre”, disse antes de subir ao palco. O casal de caruaruenses, Fernando e Isabel, está de férias na casa de parentes em Casa Forte e aproveitou para brincar o Carnaval recifense. “Já fomos ao Recife Antigo e hoje resolvemos percorrer alguns polos de bairro. Quando vimos no site da Prefeitura que André Rio ia se apresentar aqui, viemos correndo. Ele é muito bom, desde os tempos do Recifolia”, explica Isabel.

Quem também fez sucesso no polo do Alto José do Pinho neste último dia de folia foi o cantor e compositor Lira, de Arcoverde. Conhecido em um passado recente pelo nome de Lirinha da extinta Banda Cordel do Fogo Encantado, ele fez uma apresentação impecável e foi bastante aplaudido pelo público mais jovem. “O Carnaval do Recife é sempre especial. Essa característica de levar as atrações para os bairros da periferia acaba incentivando ainda mais o amor às nossas raízes”, elogiou Lira, após o show. O engenheiro civil Maurício Cavalcanti de Albuquerque acompanha o artista desde os tempos de Lirinha e vê no seu trabalho muita qualidade e compromisso social. “O Lirinha é sempre o Lirinha, ótimo músico e grande crítico social, adoro esse cara”, revelou.

O polo do Alto do Alto José do Pinho também foi ocupado nesta terça-feira por artistas do próprio bairro, como o cantor e percussionista Lucas dos Prazeres e o afoxé Ylê de Egbá, que possui um centro de formação cultural bastante atuante. Lucas começou como passista de frevo e na percussão já acompanhou apresentações de maestro Spok, Lula Queiroga, Alceu Valença e Elba Ramalho. O vendedor de cachorro quente José João de Lima disse sentir orgulho do Alto José do Pinho, um sentimento que pareceu ser comum aos moradores do bairro, que nesta terça-feira lotaram o polo com muita alegria e frevo no pé.